Oficina de encerramento da CiViA

Encontro reúne membros para apresentar os resultados dos projetos piloto do ciclo 2015 e discutir próximos passos 23/11/2015
COMPARTILHE

Foto Miklós

Por Milene Fukuda e Beatriz Kiss

No dia 12 de novembro, a iniciativa  empresarial Ciclo de Vida Aplicado (CiViA), recebeu na FGV, em São Paulo, os representantes das empresas membro para a terceira e última oficina do ciclo. Ao longo deste primeiro ano da CiViA,  a equipe do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces), promoveu oficina de capacitação, oficinas temáticas e encontros setoriais para acompanhar o desenvolvimento dos projetos piloto de pegada de carbono, que foram apresentados nesse encontro final.

"Com o projeto piloto foi possível experimentar e testar novas ideias na prática, testar viabilidade e construir um material que seja útil e faça sentido no dia-a-dia das empresas. Além disso, o objetivo do piloto também era desenvolver fatores de emissão nacionais e gerar conhecimento que pudesse ser aplicado e replicado em diversos setores da economia", explicou a coordenadora da CiViA, Beatriz Kiss.

As empresas desenvolveram um projeto voltado para um de seus respectivos produtos (bens ou serviços). O foco de trabalho desse primeiro ciclo foi na categoria de mudanças climáticas e cálculo da pegada de carbono ao longo do ciclo de vida dos produtos. No encontro, foi o momento das empresas  apresentarem os resultados e status de seus estudos, trocarem experiências e também de contribuir com suas impressões do trabalho realizado em 2015.

Nas apresentações feitas pelas próprias empresas, as reflexões passaram pela dificuldade com a coleta externa e interna de dados, até o preenchimento da ferramenta. "A ACV é um processo iterativo, no qual cria-se quantos cenários sejam necessários, e muitas vezes é preciso redesenhar mapas de processo da empresa, pois se é obrigado a olhar para dentro de forma mais aprofundada, realizando uma comparação interna estratégica de seus próprios produtos", relatou o representante da Bunge.

Cada empresa enfrentou desafios particulares conforme o produto escolhido para a análise. Neste contexto, a equipe da CiViA buscou auxiliá-las com referências, documentos e discussões aprofundadas dentro dos encontros setoriais. Os resultados dos projetos piloto devem ser comunicados no site da CiViA assim que finalizados, no início de 2016.

Próximos passos - Se no primeiro ano o foco foi na categoria de mudanças climáticas, a ideia para os próximos anos é ampliar a agenda para outras categorias de impacto da ACV, como água. O esforço em comunicar resultados também continua, "queremos difundir o conhecimento, aumentar os dados sobre ACV no Brasil para além da FGV e da CiViA", encerrou Ricardo Dinato (GVces).