Oficina avança com projetos de pegada de carbono e pegada hídrica na CiViA

Neste ano, as empresas membros da iniciativa Ciclo de Vida Aplicado se debruçarão em duas categorias de impacto ambiental da análise de ciclo de vida – mudança do clima e uso da água 01/07/2016
COMPARTILHE

Local FGV-SP, São Paulo/SP
Data: 08 de junho de 2016 Projeto: Iniciativa Ciclo de Vida Aplicado (CiViA) Participantes: Representantes das empresas membros da CiViA Apresentação: Beatriz Kiss e Ricardo Dinato (GVces)
Texto: Bruno Toledo (GVces)

Depois de receberem capacitação em métodos de pegada de carbono e pegada hídrica de produtos (bens ou serviços), as empresas membros da iniciativa Ciclo de Vida Aplicado (CiViA) se dedicarão nos próximos meses à condução de estudos sobre seus produtos nesses temas, com apoio da equipe do GVces.

Para dar o 'pontapé inicial' desses estudos, a CiViA realizou em 08 de junho uma oficina com a participação de representantes das 30 empresas que fazem parte da iniciativa neste ciclo 2016. Além de promover a integração entre as diversas empresas e compartilhar informações sobre os produtos a serem estudados, a oficina teve como objetivo retomar os conceitos teóricos da capacitação, desta vez aplicados na prática. Para tanto, a equipe retomou conceitos essenciais sobre inventário de ciclo de vida (ICV), considerado o “coração” de um estudo de ACV. O ICV é fundamental para qualquer estudo de produto a partir do pensamento de ciclo de vida, independente da categoria de impacto analisada. Por este motivo, a abordagem utilizada nesta oficina e nos próximos encontros da CiViA segue as premissas da ACV, sendo aplicável a todas as empresas, independentemente do tipo de categoria de impacto escolhida para trabalhar.

 “Já que ACV é um tema bastante complexo, que envolve várias áreas de conhecimento, com muitas categorias de impacto ambiental, nós optamos por trabalhar a partir de etapas, com blocos de conhecimento que vão agregando complexidade ao estudo de ACV”, explica Beatriz Kiss, gestora da CiViA. Assim, neste ano, as empresas poderão desenvolver estudos completos de pegada de carbono, aproveitando os aprendizados dos pilotos realizados no ano passado, e fazer projetos piloto de pegada hídrica (alinhado à agenda de gestão de recursos hídricos, tema central de trabalho das Iniciativas Empresariais do GVces em 2016). A ideia é que, a partir do conhecimento acumulado nos estudos em clima e água, as empresas membros possam avançar consistentemente até conseguir desenvolver estudos “completos” de ACV, ou seja, olhando para todas as categorias pertinentes de impacto ambiental de um dado produto.

Neste ano, cinco empresas membros da CiViA – Beraca, Duratex, JBS, Odebrecht Industrial, e Lojas Renner - desenvolverão projetos piloto de pegada hídrica de produtos selecionados, com o objetivo de testar os métodos e ferramentas disponíveis para estimar o impacto deles em consumo de água e na disponibilidade atual e futura de recursos hídricos.

“Nós buscamos pilotos que olhassem para produtos e setores econômicos diversos, com potencial de integração com outros temas da agenda integrada das Iniciativas Empresariais do GVces, como valoração, adaptação e gestão de recursos hídricos, além de integração com estudos anteriores desenvolvidos pelas empresas em ACV”, diz Beatriz Kiss.

Também estão em desenvolvimento outros 13 projetos de pegada de carbono de produtos, sendo contabilizadas as emissões de gases de efeito estufa (GEE) de serviços e bens, dos mais diversos setores.

Próximos passos – Nos próximos três meses, as empresas membros deverão se dedicar à elaboração do inventário de ciclo de vida e à coleta de dados primários para iniciar o embasamento de seus estudos de pegada de carbono e pilotos de pegada hídrica. Este trabalho contará com orientação técnica da equipe de CiViA.

Em setembro, com a realização de uma oficina de engajamento de fornecedores, começará a segunda etapa de coleta de dados, a partir de fontes secundárias. A expectativa é que os resultados finais dos estudos de pegada de carbono e dos pilotos de pegada hídrica sejam apresentados no começo de dezembro pelas empresas membros.

Clique aqui para saber mais sobre o ciclo 2016 da CiViA.

Fotos: Roberta Boccalini/GVces