CiViA capacita empresas para cálculo de pegada de carbono de produtos

Encontro reúne representantes das empresas membro para treinamento nos principais métodos para contabilização da pegada de carbono de produtos. Proposta da CiViA é que cada empresa elabore o estudo de pegada de carbono de um produto específico ao longo deste ano. 11/05/2015
COMPARTILHE

Por Bruno Toledo (GVces)

Representantes das empresas membro da iniciativa Ciclo de Vida Aplicado (CiViA) se reuniram nos dias 15 e 16 de abril passado para dar o pontapé inicial dos trabalhos técnicos do primeiro ciclo de atividades do projeto. 

Durante os dois dias, a equipe do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces) realizou uma capacitação nos principais métodos para contabilização da pegada de carbono, uma das categorias de impacto ambiental que faz parte da Avaliação de Ciclo de Vida (ACV), ferramenta que permite qualificar o desempenho ambiental de um produto ao longo do seu ciclo de vida, identificando quantitativamente o uso de recursos naturais e os rejeitos e avaliando os impactos ambientais associados a todas as etapas ao longo da cadeia de um produto (bem ou serviço).

A proposta da CiViA para esse primeiro ano de atividades é apoiar as empresas a mensurar e analisar suas externalidades climáticas, através da quantificação da “pegada de carbono” de produtos desenvolvidos pela empresa, por meio de projetos piloto. A capacitação nos métodos serviu para dar subsídios às empresas membro na definição de qual produto será analisado no decorrer desse ano, esforço este que começa agora e seguirá a partir dos encontros setoriais.

Para muitos profissionais, a capacitação serviu como um momento para esclarecer dúvidas e conhecer mais sobre as ferramentas de pegada de carbono e ACV. “Achei o treinamento muito bom, e a equipe do GVces conseguiu passar os fundamentos do ciclo de vida de forma leve, ainda que seja um assunto bem pesado”, afirma Daniella Iervolino, das Braskem. “Para nós, o principal valor que esse treinamento agrega é exatamente passar para as outras empresas parceiras a visão que compartilhamos sobre ACV e pegada de carbono, integrando essa cadeia”.

“Este encontro foi bastante produtivo, e creio que conseguimos alcançar nosso objetivo”, argumenta Ricardo Dinato, pesquisador do GVces e da CiViA. “Como o conteúdo é complexo e os conceitos tratados eram novos para praticamente todos os participantes, tentamos simplificar ao máximo a forma de apresentação, sem perder o rigor técnico – o que é, aliás, uma das principais propostas da CiViA”.

 

Próximos passos - Com a realização da capacitação, os representantes das empresas membro da CiViA iniciarão o desenvolvimento da pegada de carbono de seus produtos. Este esforço se dará a partir de encontros setoriais, no qual serão discutidos métodos, ferramentas e base de dados, além de servirem como oportunidade de networking com empresas do mesmo setor. Todo esse processo será cuidadosamente acompanhado e apoiado pela equipe do GVces e da CiViA. O 1º encontro setorial será realizado em junho.

Fotos: Felipe Frezza (GVces)